.Our Stat Bar

Profile for meiaonca

.tags

. todas as tags

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30

.Setembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30

.links

.Cachadas

. Setembro 2008

. Agosto 2008

.subscrever feeds

.pesquisar

 
Sexta-feira, 22 de Agosto de 2008

Jogar em casa

Arouca 20/08/2008

Portela da Anta - GC1BWTF

 

O belo repasto do dia anterior não fez esquecer a frustração de não termos atingido o objectivo de encontrar a Cache da Máquina. Por isso, no dia seguinte, decidimos beneficiar da vantagem de jogar em casa, partindo em busca de uma cache oculta na Serra da Freita, concelho de Arouca, terra natal da Susana. A Freita abriga, nos seus cumes e vales, copiosos encantos naturais. Quedas de água, como a da Frecha da Mizarela; riachos de água gelada e cristalina; percursos pedestres, por entre as encostas verdejantes e quase em estado impoluto; Pedras Parideiras, fenómeno geológico único no país e extremamente raro no mundo, em que agregados minerais de dimensões na casa dos centímetros brotam das rochas que os envolvem. Consultando o Geocaching verificámos que muitos destes locais escondem também caches! Foi com alguma surpresa que constatámos que o fenómeno do Geocaching se encontra bem difundido pelo concelho de Arouca. Uma pesquisa mais apurada pelas várias caches assestadas na Freita, elegemos uma oculta junto a um local que ainda não havíamos visitado juntos, a Portela da Anta.
foto de amoleto
A Portela da Anta consiste numa mamoa, monumeto funerário, do período Neolítico (cerca de 1500 A.C.). Este local situa-se num planalto, acedível por uma estrada empedrada que serpenteia pelo topo da Freita. Ao longo da mesma fomos observando uma paisagem idílica, composta por vegetação rasteira, essencialmente de Urze e aqui e ali belas árvores frondosas. Este cenário é o “habitat” das mui formosas, e diga-se saborosas, vacas Arouquesas, que por ali pastam ou repousam livremente.
Após termos percorrido os últimos metros da nossa viagem num caminho de terra batida, parte integrante de um dos percursos pedestres da Freita, chegámos à mamoa. Depois, um passo após o outro fomos tentando encontrar o ponto exacto indicado nas coordenadas… Foi então que a Susana avistou um montinho de pedras suspeito … Sob elas, ei-la finalmente! Envolta num saco plástico preto ai estava a nossa primeira cache! Sucesso!!! O nosso primeiro êxito!
foto Ricardo T
Abrimos com entusiasmo a Cache. No interior, para além do notebook, haviam vários brindes, entre eles, um berlinde, um relógio e um pequeno dinossáurio de plástico. Retirámos este último, mas o que deixar em troca? Vasculhámos os nossos bolsos e a única coisa que encontrámos foi o porta-chaves do carro. Feito! Em seguida preenchemos o notebook. Arumámos tudo no interior da cache e colocámo-la cuidadosamente no seu local original.      
 
PS - Devido a erros de iniciante, não levámos máquina fotográfica, pelo que usámos as imagens disponíveis na página da cache. 
publicado por Nuno Susana às 19:38

link do post | comentar | favorito
|